Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2016 > 02 > 'Mosquito não é capaz de vencer o Brasil', diz presidente da OMS

Cidadania e Justiça

'Mosquito não é capaz de vencer o Brasil', diz presidente da OMS

Saúde

Presidenta da organização, Margaret Chan disse jamais ter visto envolvimento tão sério e veloz de um governo no combate a uma epidemia
por Portal Brasil publicado: 23/02/2016 20h20 última modificação: 23/02/2016 21h40
Valter Campanato/ABr “Afirmo nunca ter visto antes o envolvimento de uma liderança tão forte de um presidente em um problema como esse, tanto em velocidade de ações, seriedade, amplo espectro e escala do seu envolvimento”, disse a presidenta da OMS

“Afirmo nunca ter visto antes o envolvimento de uma liderança tão forte de um presidente em um problema como esse, tanto em velocidade de ações, seriedade, amplo espectro e escala do seu envolvimento”, disse a presidenta da OMS

A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, afirmou nesta terça-feira (23) em Brasília que o governo brasileiro está agindo de forma rápida e firme para assegurar a realização das Olimpíadas em condições seguras. "Eu posso dizer, com base no que vi e ouvi aqui hoje, que o mosquito não é capaz de vencer o Brasil", disse.

“Estamos em fevereiro e temos até agosto. O governo está trabalhando muito firmemente junto com parceiros OMS e Opas (Organização Pan-Americana de Saúde) para assegurar todos os planos de trabalho para que (Olimpíada) seja segura, não só para participantes e atletas, mas para todas as pessoas que queiram vierem prestigiar os jogos olímpicos”, afirmou a sanitarista chinesa, em declaração a jornalistas. 

Margaret Chan, que está à frente da OMS desde 2007, desembarcou em Brasília na noite da segunda-feira para uma visita de dois dias ao País em encontros com autoridades brasileiras.

Nesta terça-feira, ela se reuniu com a presidenta Dilma Rousseff. O encontro tratou das ações adotadas pelo governo brasileiro para conter a epidemia do zika vírus, que causou um aumento nos casos de microcefalia no País.

Após o encontro ocorrido no Palácio do Planalto, a presidente da OMS disse estar “muito satisfeita” com a liderança do governo no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de zika, dengue e chikungunya, e também com a forma com que as famílias afetadas pela microcefalia estão sendo amparadas.

Ela acrescentou não ter visto uma mobilização para combate a uma epidemia como a observada no Brasil. “Afirmo nunca ter visto antes o envolvimento de uma liderança tão forte de um presidente em um problema como esse, tanto em velocidade de ações, seriedade, amplo espectro e escala do seu envolvimento.”

Sobre as ações para controle da epidemia de microcefalia, ela também avaliou como positiva a rapidez com que o Brasil tem transmitido às entidades internacionais e ao mundo informações sobre as ações adotadas.

E considerou como bem encaminhadas as medidas que estão em curso para permitir diagnóstico, tratamento e  prevenção das doenças.

Margaret Chan também se reuniu com ministros de diferentes áreas do governo federal no Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres.

Após a agenda de encontros da terça-feira, a diretora-geral da OMS fará viagem a Recife para visitar um hospital que atende bebês com diagnóstico de microcefalia.

Emergência nacional e alerta internacional

O rápido avanço dos casos da má-formação do cérebro de bebês associada ao zika também levou a OMS e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) a emitirem um alerta mundial, chamando a atenção para o alastramento dos casos.

Ao receber a dirigente da OMS o ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse esperar que Margaret Chan ajude o governo a estabelecer mais parcerias para controle do zika.

“Desde o primeiro instante o Brasil tem sido o mais transparente possível. E queremos que ela nos ajude a estabelecer novas parcerias (no combate ao vírus e ao mosquito)”, disse Castro.

Medidas adotadas

Após a identificação do rápido aumento dos casos de microcefalia no fim de 2015 e da declaração de emergência nacional o governo federal adotou uma série de medidas para conter a infestação do mosquito e eliminar os criadouros.

Entre as ações, o governo mobilizou militares das Forças Armadas para reforçar as vistorias às residências.

A fim de manter o estado de alerta para microcefalia-zika-Aedes aegypti, no início deste mês o governo realizou uma mobilização nacional para alertar a população para o fato de que dois terços dos focos do mosquito estão nas residências.

Nessa mobilização, as autoridades fizeram um apelo para que a população faça vistorias semanais em casa evitar a proliferação do vetor das doenças.

Em outra ação, o governo firmou parceria com os Estados Unidos para desenvolver uma vacina contra o zika vírus.

Na última sexta-feira (19), o governo voltou a fazer uma mobilização nacional.

Dessa vez em escolas públicas, universidades e em centros e institutos de tecnologia para pedir que estudantes, universitários e professores tenham participação ativa na conscientização da população sobre a gravidade da situação.

Já na segunda-feira (22), o Ministério da Saúde acertou com o Instituto Butantã a terceira fase do desenvolvimento da vacina da dengue.

Fontes: Organização Mundial da Saúde e Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

registrado em: , ,

Missão Transplante

Últimos vídeos

ANS regulamenta contratação online de planos de saúde
Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) cria regras que dão mais segurança ao consumidor que for contratar um plano de saúde pela internet
Governo destinará R$ 1 bilhão às Unidades de Pronto Atendimento
Ministério da Saúde registrou economia R$ 1 bilhão após renegociação de contratos e outras medidas. Recursos serão destinados às UPAs e Santas Casas
Governo prepara campanha para combater o mosquito Aedes aegypti
A mobilização de combate ao mosquito Aedes aegypti será nacional. Confira o detalhamento das ações
Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) cria regras que dão mais segurança ao consumidor que for contratar um plano de saúde pela internet
ANS regulamenta contratação online de planos de saúde
Ministério da Saúde registrou economia R$ 1 bilhão após renegociação de contratos e outras medidas. Recursos serão destinados às UPAs e Santas Casas
Governo destinará R$ 1 bilhão às Unidades de Pronto Atendimento
A mobilização de combate ao mosquito Aedes aegypti será nacional. Confira o detalhamento das ações
Governo prepara campanha para combater o mosquito Aedes aegypti

Últimas imagens

Os dois nomes foram sabatinados e aprovados pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal (CAS)
Os dois nomes foram sabatinados e aprovados pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal (CAS)
Divulgação/EBC
Força Nacional do SUS viajou para a Colômbia em avião da FAB
Força Nacional do SUS viajou para a Colômbia em avião da FAB
Foto: Tenente Enilton/Força Aérea Brasileira
Redução das mortes é resultado do incentivo ao diagnóstico e início precoce do tratamento
Redução das mortes é resultado do incentivo ao diagnóstico e início precoce do tratamento
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Mais de 2,2 mil municípios participaram do levantamento do Ministério da Saúde sobre as doenças
Mais de 2,2 mil municípios participaram do levantamento do Ministério da Saúde sobre as doenças
Divulgação/Governo do Mato Grosso
Determinação da Anvisa foi publicada na edição desta quinta (24) do Diário Oficial da União
Determinação da Anvisa foi publicada na edição desta quinta (24) do Diário Oficial da União
Divulgação/Anvisa

Governo digital