Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2016 > 02 > "Um mosquito não pode derrotar 204 milhões de pessoas", diz Jaques Wagner

Saúde

"Um mosquito não pode derrotar 204 milhões de pessoas", diz Jaques Wagner

Zika Zero

Ministro-chefe da Casa Civil garante que o combate ao mosquito irá continuar e chama estudantes para realizar atividades de prevenção nas casas e comunidades
por Portal Brasil publicado: 19/02/2016 20h13 última modificação: 04/03/2016 10h36

O ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner acompanhou a presidenta Dilma Rousseff , nesta sexta-feira (19), em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), nas atividades da Mobilização Nacional da Educação Zika Zero, nas escolas e universidades, de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Wagner considerou fundamental a mobilização realizada hoje pela presidenta e os ministros nas escolas e universidades para mostrar que o trabalho de combate ao mosquito, que é o transmissor da dengue, chikungunya e zika, vai continuar. “ Essa mobilização nacional vai continuar. Peço a todos que façam o que estão aprendendo e recomendem aos amigos, parentes, vizinhos, o combate rigoroso ao mosquito na casa de cada um e na sua comunidade. O mosquito não pode ser mais forte que um país inteiro”, disse o ministro.

Dilma e Jaques Wagner visitaram a Moscamed Brasil, primeira biofábrica do país destinada à produção de insetos estéreis e controle biológico de pragas, e estiveram no Colégio Alfredo Vianna, onde a presidenta proferiu palestra aos alunos sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti.

Durante a visita à escola, a presidenta enfatizou a importância do engajamento de todos os brasileiros nessa campanha. “Um mosquito não pode derrotar 204 milhões de pessoas, nós somos muito mais fortes que esse mosquito”, afirmou Dilma. “Só tem um jeito, é que cada um de nós use 15 minutos uma vez por semana e limpe onde tiver água parada”, complementou.

A sexta-feira foi de mobilização de estudantes, professores, servidores, técnicos e pais de alunos em estabelecimentos de ensino do Brasil. Foram incluídas no roteiro de visitas as 188.673 escolas de educação básica, as 63 universidades federais, os 40 institutos federais e Centros Federais de Educação Tecnológica. Como no último sábado (13), vários ministros participaram da mobilização nacional. A iniciativa conta com apoio das secretarias estaduais e municipais de Educação, além das Forças Armadas.

Mobilização nacional

O objetivo do esforço concentrado é aproveitar o período de volta às aulas e o alcance das redes federal, distrital, estaduais e municipais de educação, em todos os níveis, para incentivar os estudantes a transmitirem as informações aos familiares e fazerem a fiscalização em casa.

Segundo Mercadante, a proposta é que cada escola crie um comitê permanente para desenvolver o trabalho de conscientização durante o ano todo. O conteúdo e forma de abordagem serão definidas de acordo com o nível de ensino. Na educação infantil, por exemplo, a ideia é utilizar atividades lúdicas e material pedagógico que estimule o interesse das crianças pelo tema. Além de disponibilizar o material didático a ser utilizado em sala de aula, O MEC ira apoiar a produção científica e a pesquisa sobre o mosquito e as doenças (dengue, zika e chikungunya).

A mobilização é parte das ações do Pacto Nacional da Educação Brasileira contra o zika, firmado no inicio do mês entre o Ministério da Educação, representantes do governo federal e instituições de ensino, públicas e particulares.

Fonte: Casa Civil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital