Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2017 > 04 > Instituto Nacional de Traumatologia passa a contar com Banco de Pele

Saúde

Instituto Nacional de Traumatologia passa a contar com Banco de Pele

Tratamento

O serviço beneficiará, especialmente, as vítimas de grandes queimaduras e politraumatizados
por Portal Brasil publicado: 25/04/2017 15h22 última modificação: 26/04/2017 15h11

Começou a funcionar, nesta segunda-feira (24), o Banco de Pele do Estado do Rio de Janeiro. O serviço, disponível no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into), beneficiará, especialmente, as vítimas de grandes queimaduras e politraumatizados.

A iniciativa, conjunta da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e do Ministério da Saúde, oferecerá tratamento até então indisponível na rede pública do Rio de Janeiro. Em uma estrutura de 200m², o Banco de Pele contribui para o atendimento da demanda no País inteiro, integrando-se aos outros três bancos desse tipo existentes no Brasil.

O funcionamento é 24h por dia. A unidade conta com 50 profissionais, sendo 13 médicos, e atende a todas as especificações previstas pelo Sistema Nacional de Transplantes e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

"Esperamos aumentar consideravelmente o número de cirurgias utilizando tecido humano, oriundo de doações. Nossa expectativa é de resultados bem-sucedidos, como os que são observados com o funcionamento do Banco de Olhos, também instalado no Into, que contribuiu para o crescimento histórico nos transplantes de córnea que registramos”, ressalta o secretário estadual de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Jr.

Quarto banco do tipo

O Banco de Pele do Estado do Rio de Janeiro é o quarto do país – outras unidades existem em São Paulo, Porto Alegre e Curitiba – e sua principal atribuição é a captação, assim como o processamento, armazenamento e disponibilização de lâminas de pele humana para os centros de transplantes.

A utilização será principalmente no atendimento de pacientes politraumatizados e/ou vítimas de queimaduras graves. A pele funciona como um curativo biológico para a proteção e cobertura de lesões, sejam estas superficiais ou profundas. Isso protege o paciente contra infecções, efeito importante para a redução da perda de líquido e de calor, estimulando a cicatrização e colaborando para minimizar a dor. Comprovadamente, pode significar a diferença entre a vida e a morte de um paciente grave. 

 

Fonte: Portal Brasil, com informações do Portal da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Ministério da Saúde garante que não faltará vacina de febre amarela
A pasta atualizou os dados sobre os casos de febre amarela registrados no País e garantiu que não vai faltar vacina para imunização
Secretária fala sobre aborto e tratamento das mulheres nos hospitais públicos
Fátima Pelaes detalha ações do governo para o tratamento das mulheres em hospitais públicos e planejamento familiar
Entenda o que é a dose fracionada da vacina contra febre amarela
População de municípios de São Paulo, Rio e Bahia vai receber a dose fracionada da vacina, por decisão do Ministério da Saúde
A pasta atualizou os dados sobre os casos de febre amarela registrados no País e garantiu que não vai faltar vacina para imunização
Ministério da Saúde garante que não faltará vacina de febre amarela
Fátima Pelaes detalha ações do governo para o tratamento das mulheres em hospitais públicos e planejamento familiar
Secretária fala sobre aborto e tratamento das mulheres nos hospitais públicos
População de municípios de São Paulo, Rio e Bahia vai receber a dose fracionada da vacina, por decisão do Ministério da Saúde
Entenda o que é a dose fracionada da vacina contra febre amarela

Últimas imagens

Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Arquivo/EBC

Governo digital