Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2017 > 08 > Pacientes avaliam como excelentes hospitais federais no RJ

Saúde

Pacientes avaliam como excelentes hospitais federais no RJ

Satisfação

Pesquisa do Ministério da Saúde examinou atendimento, serviços, infraestrutura e alimentação oferecidas nas unidades
por Portal Brasil publicado: 16/08/2017 20h01 última modificação: 16/08/2017 20h10
Arquivo/Agência Brasil Reorganização das unidades propiciou a ampliação de internações e redução da fila por cirurgias

Reorganização das unidades propiciou a ampliação de internações e redução da fila por cirurgias

Pacientes internados em seis hospitais federais no Rio de Janeiro avaliaram os serviços prestados como excelentes. A pesquisa semestral da ouvidoria do Ministério da Saúde aferiu a nota de 9,6 para as unidades.

Ao todo, 764 pessoas foram entrevistadas a partir de uma nova abordagem, mais detalhada, sobre o atendimento prestado pelos profissionais de saúde e sobre a qualidade dos serviços oferecidos, da infraestrutura e da alimentação.

O setor de admissão de pacientes, a equipe médica e o serviço social receberam as melhores médias de satisfação.

Atendimentos

Os seis hospitais realizaram 26.688 internações no primeiro semestre, 5% a mais do que no mesmo período do ano passado. Houve ainda 400,3 mil consultas ambulatoriais e 57,4 mil atendimentos de emergência, o que corresponde a uma ampliação de 8% em comparação a 2016.

Foram 23,6 mil cirurgias, um aumento de 6% em relação a igual período do ano anterior. A fila cirúrgica da rede foi reduzida à metade, de 16.924 para 8.465 cirurgias.

Com a reorganização e a otimização dos serviços, leitos, recursos humanos, insumos, medicamentos e recursos financeiros, a meta é ampliar em 20% o atendimento em oncologia, cardiologia e ortopedia – as áreas hoje mais demandadas pela população que procura a rede do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital