Você está aqui: Página Inicial > Turismo > 2012 > 04 > Saiba quais produtos podem entrar no Brasil vindos do exterior

Turismo

Saiba quais produtos podem entrar no Brasil vindos do exterior

Compras

Entenda também qual é o limite de isenção de imposto para compras realizadas em viagens internacionais
por Portal Brasil publicado: 04/04/2012 18h38 última modificação: 29/07/2014 09h13

O viajante maior de 16 anos que pretende chegar aos portos e aeroportos do Brasil com produtos comprados do exterior na bagagem precisa saber dos limites impostos pela Receita Federal. Quem ultrapassa a franquia pessoal de US$ 500 paga uma multa de 50% sobre o valor excedente. Para quem voltar de viagem por terra, rios ou lagos, a cota de isenção de impostos cai para US$ 300.

Alguns itens são proibidos de trazer para o País e, caso descobertos, serão apreendidos pela alfândega. Em alguns casos, o viajante pode ser preso pelas autoridades brasileiras e responder processo civil e penal.

Não é preciso declarar itens que a Receita Federal considera como de uso ou consumo pessoal, como por exemplo, livros, folhetos e periódicos, celulares usados, máquinas fotográficas usadas, roupas, relógios, entre outros produtos. Mas, existe um limite de unidade para esses itens. Caso o turista queira levar algum equipamento para o exterior, é preciso estar com a nota fiscal e procurar o posto da alfândega antes do embarque para evitar cobrança de imposto no retorno ao Brasil.

Quem faz compras com cartão internacional  paga o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros (IOF). Nos cartões de crédito, a alíquota para despesas internacionais é de 6,38%, para cada operação. No cartão de débito, o IOF cai para 0,38% e ele só incide no momento de carregamento do valor monetário.

Nos embarques para o exterior, para a segurança do passageiro, além do procedimento de inspeção de bagagens de mão, existem restrições sobre o que pode ser levado para dentro da aeronave. O transporte de líquidos, inclusive gel, pastas, cremes, aerossóis e similares devem estar em embalagens de 100 ml, no máximo. Para facilitar a inspeção, o frasco deve ser envolvido em uma embalagem plástica transparente, que possa ser fechada, com capacidade máxima de um litro e dimensões de 20 x20 cm.

Medicamentos com prescrição médica, alimentação de bebês e líquidos de dietas especiais não entram nessa restrição, mas devem ser transportados na quantidade necessária e prescrita para o tempo de duração do voo e eventuais escalas.

O limite de isenção de imposto para compras feitas em lojas francas (também conhecidas como free shop é de US$ 500. Além disso há também controle sobre o número de produtos comprados. As embalagens de bebidas ou perfumes devem ser seladas e o recibo precisa estar à mostra com a data do início do voo de retorno ao País (embarque ou conexão).

Vale lembrar que este limite extra à cota de isenção é válido apenas para as lojas localizadas no desembarque dos aeroportos brasileiros. O que for comprado no free shop do embarque, no país estrangeiro ou a bordo do avião é considerado bem adquirido no exterior e entra na conta de isenção da bagagem.

O turista que faz compras de produto caracterizado como bem exportável pode fazer uso do sistema de reembolso do imposto sobre valor agregado (VAT, na sigla em inglês). Para isso é preciso verificar se a loja em questão oferece esta possibilidade, apresentar o passaporte no ato da compra e pedir o formulário de solicitação de devolução do tributo. O reembolso pode ser realizado em casas de câmbio, cartão de crédito ou via correio.

Assim que chegar ao aeroporto, o produto, notas fiscais e formulários devem ser apresentados a um fiscal da alfândega, que valida o pedido. Depois deste processo deve-se enviar os formulários carimbados para as empresas que realizam o serviço. Os aeroportos internacionais contam com caixas de correio específicas para este procedimento.

A Receita Federal disponibiliza em seu site uma área de perguntas e respostas sobre os procedimentos de controle aduaneiro e tratamento tributário para os bens adquiridos pelo viajante no exterior.

Fontes:

Receita Federal 

Guia do Viajante (Anac)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Artistas poderão trabalhar no Ministério do Turismo
Órgão patrocina um cachê, de no máximo R$ 200 mil, para eventos indutores de turismo.
Blumenau é a Capital Nacional da Cerveja
Presidente Michel Temer sancionou, nesta quinta-feira (9), uma lei que dá título à cidade. Blumenau é palco da Oktoberfest
Aumenta a intenção dos turistas brasileiros em viajar de ônibus
Segundo dados do Ministério do Turismo, aumentou em quase 7% a intenção dos brasileiros de viajar em ônibus
Órgão patrocina um cachê, de no máximo R$ 200 mil, para eventos indutores de turismo.
Artistas poderão trabalhar no Ministério do Turismo
Presidente Michel Temer sancionou, nesta quinta-feira (9), uma lei que dá título à cidade. Blumenau é palco da Oktoberfest
Blumenau é a Capital Nacional da Cerveja
Segundo dados do Ministério do Turismo, aumentou em quase 7% a intenção dos brasileiros de viajar em ônibus
Aumenta a intenção dos turistas brasileiros em viajar de ônibus

Últimas imagens

Estratégia de promoção do destino Brasil da Embratur garantiu incrementos
Estratégia de promoção do destino Brasil da Embratur garantiu incrementos
Elza Fiuza/Agência Brasil
Turismo de base comunitária divulga os atrativos e mantém comunidades comprometidas com o meio ambiente
Turismo de base comunitária divulga os atrativos e mantém comunidades comprometidas com o meio ambiente
Divulgação/Embratur
Aumento da intenção de viagem para os próximos seis meses abrange cinco das sete capitais pesquisadas
Aumento da intenção de viagem para os próximos seis meses abrange cinco das sete capitais pesquisadas
Divulgação/MTur
Em relação aos transportes mais usados nas viagens, carro e ônibus se mostraram os mais preponderantes
Em relação aos transportes mais usados nas viagens, carro e ônibus se mostraram os mais preponderantes
Divulgação/Infraero
Dentre as ações, está a abertura de todo capital das empresas aéreas brasileiras ao investimento internacional
Dentre as ações, está a abertura de todo capital das empresas aéreas brasileiras ao investimento internacional
Foto: Gabriel Heusi/Brasil2016.gov.br

Governo digital