Você está aqui: Página Inicial > Turismo > 2013 > 10 > Programa Cama e Café possui 238 residências cadastradas

Turismo

Programa Cama e Café possui 238 residências cadastradas

Hospedagem alternativa

Meta é selecionar 375 hospedagens em 12 regiões do Distrito Federal; valores das diárias devem variar entre R$ 80 e R$ 250
por Portal Brasil publicado : 18/10/2013 18:40

O programa de hospedagem alternativa Cama e Café do Distrito Federal já tem 238 residências cadastradas. A proposta é possibilitar que os moradores recebam turistas e ofereçam serviços de quarto, limpeza e café da manhã, de forma mais acolhedora, hospitaleira, e econômica.

Os valores das diárias, que estão sendo definidos conforme o porte das casas, vão variar entre R$ 80 e R$ 250. A previsão é que a tabela seja divulgada até o final de novembro.

Entre as vantagens para os anfitriões estão a possibilidade de um complemento na renda e a troca de experiências com pessoas de outras culturas.

Podem participar proprietários de residências localizadas em 12 regiões do DF: Candangolândia, Cruzeiro, Guará, Lagos Sul e Norte, Núcleo Bandeirante, Sudoeste e Octogonal, pela proximidade ao Estádio Mané Garrincha e à área central de Brasília; e Brazlândia, Gama, Planaltina e Sobradinho I, pelo potencial turístico. O cadastramento segue até o fim do ano.

A meta, para o Copa de 2014, é chegar a 375 imóveis selecionados, gerando 3.375 leitos aos visitantes. Quem tiver interesse em abrir as portas de suas casas para os turistas que virão para os sete jogos do Mundial  pode se cadastrar no site da Secretaria de Turismo do Distrito Federal. Para isso, é preciso baixar o arquivo “Formulário e pré-inscrição”, preencher e enviar o documento. 

O programa 

O Cama e Café exige que o morador seja proprietário do imóvel. O locatário só pode disponibilizar três cômodos e deve oferecer, no mínimo, os serviços de limpeza e de café da manhã.

Após o cadastro, a secretaria de Turismo do Distrito Federal realiza visitas técnicas aos imóveis com o apoio da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil, que cuida de toda a parte comercial.

Além de avaliar se as residências atendem aos pré-requisitos, as equipes tiram fotos, fazem a descrição das residências e traçam um perfil do turista da preferência do morador, que participa de palestras de capacitação. 

Oportunidade

Para o Felipe Regata, fluente em inglês e espanhol, as vantagens do programa vão além dos ganhos financeiros. “Me interessei pela chance de ganhar uma grana extra, mas também porque sou receptivo. Gosto de receber visitas em casa. Inclusive vou continuar oferecendo meu apartamento após a Copa”, conta o brasiliense, que cobrará uma diária de R$ 80 e durante o aluguel ficará no apartamento ao lado do que vai disponibilizar para o programa, do qual também é proprietário, na Asa Norte.

Estudante de engenharia de produção na Universidade de Brasília (UnB), Felipe torce para receber turistas do Reino Unido, possível destino de um intercâmbio que pretende fazer no próximo ano.

No entanto, seja quem forem os convidados, o estudante os receberá muito bem. “Vou mostrar os pontos turísticos, que conheço bem”, diz Felipe, que tem no braço uma tatuagem da Catedral, dos Dois Candangos e da Ponte JK.

Fonte:
Portal da Copa

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil