Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2010 > 10 > Olimpíada de Matemática

Ciência e Tecnologia

Olimpíada de Matemática

A Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) é uma competição aberta a todos os estudantes dos ensinos Fundamental (a partir da 5ª série), Médio e Universitário das escolas públicas e privadas de todo o Brasil. O objetivo do evento é estimular o estudo da Matemática, aperfeiçoar a capacitação dos professores e descobrir jovens talentos.
por Portal Brasil publicado: 25/10/2010 11h48 última modificação: 28/07/2014 09h14
Arquivo MCT Competição é aberta a todos os estudantes dos ensinos Fundamental, Médio e Universitário do Brasil

Competição é aberta a todos os estudantes dos ensinos Fundamental, Médio e Universitário do Brasil

A Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) é uma competição aberta a todos os estudantes dos ensinos Fundamental (a partir da 5ª série), Médio e Universitário das escolas públicas e privadas de todo o Brasil. O objetivo do evento é estimular o estudo da Matemática, aperfeiçoar a capacitação dos professores e descobrir jovens talentos.

A primeira competição do gênero aconteceu na Hungria, em 1894. Em 1959, a Romênia foi palco da Primeira Olimpíada Internacional. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) foi responsável por organizar a primeira edição da OBM. Desde então, a competição tem crescido em participação e qualidade.

Atualmente cerca de 350 mil estudantes participam todos os anos do evento. Os premiados têm a chance de participar de outras competições, como a Olimpíada do Cone Sul (quatro estudantes, com idades até 16 anos), Olimpíada Internacional de Matemática (seis estudantes do ensino médio com idades até 19 anos), Olimpíada Iberoamericana (quatro estudantes com até 18 anos) e a Competição Internacional de Matemática (universitários). Os eventos são realizados anualmente, sempre em um País diferente das edições anteriores.

A Olimpíada Brasileira conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Instituto do Milênio Avanço Global e Integrado da Matemática Brasileira. O projeto é realizado conjuntamente pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e o Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

Provas
A competição para estudantes do ensino fundamental e médio é realizada em três fases. A primeira acontece no primeiro semestre do ano e as outras duas no segundo. A primeira fase é uma prova de múltipla escolha com 20 a 25 questões e três horas de duração.

Na etapa seguinte a prova é mista (parte A e B), com duração de quatro horas. Na última fase as questões são discursivas. Para nível universitário são duas etapas, ambas com questões discursivas. 

Como participar
Normalmente o aluno participa da Olimpíada Brasileira de Matemática através de sua escola ou Universidade. Para isso, as instituições entram em contato com um coordenador regional e nomeiam um professor para ser o representante da Olimpíada na escola ou Universidade. Veja a lista dos coordenadores regionais. Caso não haja coordenadores na região é preciso entrar em contato com a secretaria da OBM .

Os estudantes cuja escola ou universidade não tem um representante da OBM devem entrar em contato com o coordenador regional ou, em último caso, com a secretaria da OBM. As datas das competições são fixadas anualmente pela Comissão Nacional de Olimpíadas da Semana Brasileira da Matemática (SBM).

Fonte:
Olimpíada Brasileira de Matemática

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Embrapa pesquisa melhoramento genético da batata
Para falar sobre o assunto, o programa Conexão Ciência entrevistou o pesquisador da Embrapa, Arione Pereira
Banco genético da Embrapa recebe coleção de batatas peruanas
Local abriga coleções de plantas, animais e microrganismos mantidas por instituições parceiras do Brasil e de outros países
Jovem brasileiro se prepara para viagem ao espaço
Treinamento de Pedro Nehme, o primeiro brasileiro civil a ir ao espaço, já começou. Voo suborbital está previsto para o fim do ano
Para falar sobre o assunto, o programa Conexão Ciência entrevistou o pesquisador da Embrapa, Arione Pereira
Embrapa pesquisa melhoramento genético da batata
Local abriga coleções de plantas, animais e microrganismos mantidas por instituições parceiras do Brasil e de outros países
Banco genético da Embrapa recebe coleção de batatas peruanas
Treinamento de Pedro Nehme, o primeiro brasileiro civil a ir ao espaço, já começou. Voo suborbital está previsto para o fim do ano
Jovem brasileiro se prepara para viagem ao espaço

Últimas imagens

 EmTech ocorre também nos Estados Unidos, no México, na Colômbia, no Equador, na Espanha, em Cingapura e Hong Kong
EmTech ocorre também nos Estados Unidos, no México, na Colômbia, no Equador, na Espanha, em Cingapura e Hong Kong
Divulgação/Governo Federal
O brasileiro antes de embarcar no avião Ilyushin 76 MDK, na base aérea de Chkalovsky.
O brasileiro antes de embarcar no avião Ilyushin 76 MDK, na base aérea de Chkalovsky.
Divulgação/AEB
Impa promove o encontro de 200 jovens de todo o País com melhor desempenho no Programa de Iniciação Científica (PIC) da Obmep
Impa promove o encontro de 200 jovens de todo o País com melhor desempenho no Programa de Iniciação Científica (PIC) da Obmep
Divulgação/Governo do Ceará
Equipada com sensores e radares a laser em diferentes alturas, a Torre Alta ampliará o campo de pesquisa e o entendimento da interação entre a biosfera e a atmosfera.
Equipada com sensores e radares a laser em diferentes alturas, a Torre Alta ampliará o campo de pesquisa e o entendimento da interação entre a biosfera e a atmosfera.
Ascom/MCTI
Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, participa de lançamento de seleção de empresas para passarem por um período de imersão e capacitação no Vale do Silício.
Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, participa de lançamento de seleção de empresas para passarem por um período de imersão e capacitação no Vale do Silício.
Divulgação/Apex-Brasil

Governo digital