Você está aqui: Página Inicial > Defesa e Segurança > 2016 > 08 > Forças Armadas manterão esquema de segurança nos Jogos Paralímpicos

Defesa e Segurança

Forças Armadas manterão esquema de segurança nos Jogos Paralímpicos

Rio 2016

Rio de Janeiro contará com o apoio de cerca de 23 mil militares. Destes, 3 mil irão desempenhar ações de policiamento ostensivo
por Portal Brasil publicado: 22/08/2016 19h37 última modificação: 23/08/2016 11h43
Fernando Frazão/Agência Brasil Em todo o País, foram cerca de 43 mil militares das Forças nos Jogos Olímpicos

Em todo o País, foram cerca de 43 mil militares das Forças nos Jogos Olímpicos

O apoio do governo federal para a segurança da Paralimpíada Rio 2016 será mantido. A partir de 31 de agosto, cerca de 23 mil militares das Forças Armadas estarão no Rio de Janeiro. 

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (22), durante entrevista coletiva de balanço sobre as ações do eixo de Defesa, que, articulado com os setores de Inteligência e de Segurança Pública, asseguraram um ambiente tranquilo e pacífico nos Jogos Olímpicos.

Na Paralimpíada, o esquema de Defesa também funcionará com cerca de 3 mil militares das Forças desempenhando ações de policiamento ostensivo, em algumas regiões pré-determinadas, como vias expressas e as redondezas do aeroporto do Galeão, em atendimento a um pedido do governo do Estado do Rio de Janeiro.

Os demais atuarão em ações de Defesa Nacional, como: marítimas e fluviais; aeroespaciais e aeroportuárias; de transporte aéreo logístico; defesa química, biológica, radiológica e nuclear; proteção de estruturas estratégicas; segurança e defesa cibernética; fiscalização de explosivos, enfrentamento ao terrorismo e emprego de forças de contingência.

Balanço da Olimpíada

Em todo o País, foram cerca de 43 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, sendo aproximadamente 23 mil deles somente no Rio de Janeiro, cidade que concentrou a maior parte das competições.

Ao todo, entre as funções do eixo de Defesa, foi realizada a proteção de 139 estruturas estratégicas, sendo 73 somente no Estado do Rio de Janeiro. Na parte da atuação das Forças no apoio à escolta de autoridades com batedores, foram realizadas 616 missões, com 16 dignitários que estiveram no Brasil para os Jogos.

Graças às campanhas de sensibilização realizadas pelos ministérios da Defesa, da Justiça e pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) com os EPATs (Estágios para Percepção de Ameaças Terroristas), foi grande o número de situações suspeitas denunciadas, com 78 objetos suspeitos encontrados, sendo que, em nenhum dos casos, a situação se confirmou como uma real ameaça.

Na parte de Defesa Aérea, 29 aeronaves foram interceptadas por estarem sobrevoando locais não permitidos por conta das interrupções realizadas pela Força Aérea em decorrência dos Jogos. Apenas seis dessas precisaram ser interrogadas, mas refizeram a rota prontamente, após receberem o aviso do FAB.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, enfatizou que não houve ocorrência grave e que a tranquilidade na cidade do Rio é um atestado de que tudo ocorreu conforme os órgãos de Defesa e de Segurança Pública previam.

“A sensação de segurança do carioca, sem sombra de dúvida, atesta que o resultado foi positivo”, afirmou o ministro, agradecendo a compreensão dos moradores do Rio e das outras cinco cidades sede do futebol olímpico – Belo Horizonte, Salvador, Brasília, São Paulo e Manaus – que tiveram de enfrentar transtornos em seu dia a dia por conta das ações de segurança. “Entregamos aquilo que prometemos: paz e tranquilidade”, concluiu.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Defesa

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Plano de redução de mortes no Trânsito vai reduzir acidentes
Brasil ocupa a 4ª posição no ranking de mortes no trânsito no continente. Plano vai adotar série de medidas para a próxima década
Governo destinou mais de R$ 1,2 bi para o sistema prisional
Em 2017, o governo destinou mais de R$ 1,2 bilhão aos estados e Distrito Federal para o sistema prisional brasileiro
Operação Rodovida vai até fevereiro
A Polícia Rodoviária Federal iniciou nesta sexta-feira (22) a Operação Rodovida, para coibir ultrapassagens irregulares, excesso de velocidade, consumo de álcool e acidentes nas estradas. Nesta edição, a operação conta com mais de 10 mil policiais e segue até o dia 18 de fevereiro
Brasil ocupa a 4ª posição no ranking de mortes no trânsito no continente. Plano vai adotar série de medidas para a próxima década
Plano de redução de mortes no Trânsito vai reduzir acidentes
Em 2017, o governo destinou mais de R$ 1,2 bilhão aos estados e Distrito Federal para o sistema prisional brasileiro
Governo destinou mais de R$ 1,2 bi para o sistema prisional
A Polícia Rodoviária Federal iniciou nesta sexta-feira (22) a Operação Rodovida, para coibir ultrapassagens irregulares, excesso de velocidade, consumo de álcool e acidentes nas estradas. Nesta edição, a operação conta com mais de 10 mil policiais e segue até o dia 18 de fevereiro
Operação Rodovida vai até fevereiro

Governo digital