Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 07 > Cooperativas poderão apresentar produtos durante a Rio 2016

Economia e Emprego

Cooperativas poderão apresentar produtos durante a Rio 2016

Biodiversidade

Chamada é para a venda de alimentos e artesanato de povos e comunidades tradicionais durante a Olimpíada; inscrições vão até o dia 29
por Portal Brasil publicado: 27/07/2016 11h07 última modificação: 27/07/2016 11h28
Foto: Tânia Rego/ Agência Brasil Foco são comunidades tradicionais e seus produtos. Governo quer incentivar a biodiversidade

Foco são comunidades tradicionais e seus produtos. Governo quer incentivar a biodiversidade

Associações e cooperativas de alimentos e artesanatos podem se inscrever, até esta sexta-feira (29), para a Feira dos Povos e da Biodiversidade do Brasil, que ocorrerá durante os Jogos Olímpicos Rio 2016. A seleção será feita pelos ministérios do Desenvolvimento Social e Agrário e do Meio Ambiente, que escolherão 24 empreendimentos.

Os produtos serão exibidos no espaço Casa Brasil, no Píer Mauá, Jardim Botânico, entre os dias 17 e 21 de agosto. O objetivo é promover o reconhecimento dos povos e comunidades tradicionais e divulgar os produtos da sociobiodiversidade brasileira aos visitantes que estarão no Rio de Janeiro. 

Para a secretária interina de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente, Juliana Simões, o evento na Olimpíada é uma vitrine para mostrar a diversidade biológica e cultural do Brasil. “Valorizar a biodiversidade e os povos e comunidades tradicionais que a usam é a melhor maneira de conservá-la para esta e para as próximas gerações”, destaca Juliana.

Biomas

Serão selecionados empreendimentos dos sete biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Costeiro e Marinho, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal. Poderão participar associações, cooperativas ou redes de comercialização de indígenas, quilombolas, pantaneiros, povos de matriz africana e de terreiro, extrativistas, pescadores artesanais, entre outras comunidades tradicionais.

Os empreendimentos devem possuir Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (Sipaf); Produto Orgânico do Brasil; comércio justo; Identificação Geográfica; maior percentual de sócios inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal; acesso ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA); Selo Quilombos do Brasil; e Selo Indígenas do Brasil.

Cada empreendimento deverá preencher integralmente o questionário de seleção e enviar por e-mail para a Secretaria Executiva do Conselho Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais do MDSA.

Acesse o formulário e tire suas dúvidas no site.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Meio Ambiente

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Saiba mais sobre as contas inativas do FGTS
Trabalhador que pediu demissão ou teve seu contrato de trabalho finalizado até 2015 tem direito ao saque das contas inativas do FGTS
Trabalhador que pediu demissão ou teve seu contrato de trabalho finalizado até 2015 tem direito ao saque das contas inativas do FGTS
Saiba mais sobre as contas inativas do FGTS

Últimas imagens

Resultado foi o melhor para o mês em toda série histórica
Resultado foi o melhor para o mês em toda série histórica
Arquivo/Agência Brasil
Dados referente a emprego e inflação contribuíram para ânimo dos investidores
Dados referente a emprego e inflação contribuíram para ânimo dos investidores
Arquivo EBC
Interligação do banco de dados vai possibilitar a criação de uma malha de informações trabalhistas
Interligação do banco de dados vai possibilitar a criação de uma malha de informações trabalhistas
Mirian Fichtner/Dataprev
Ao mesmo tempo, governo também reduziu estimativa para a inflação
Ao mesmo tempo, governo também reduziu estimativa para a inflação
Arquivo EBC
Recorde no saldo comercial foi importante para o resultado do mês
Recorde no saldo comercial foi importante para o resultado do mês
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Governo digital