Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 08 > Inflação acumulada no ano mantém rota de desaceleração

Economia e Emprego

Inflação acumulada no ano mantém rota de desaceleração

Custo de vida

Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,52% em julho. No ano, ficou quase 2 pontos abaixo do registrado em 2015
por Portal Brasil publicado: 10/08/2016 16h16 última modificação: 10/08/2016 20h37
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil Governo trabalha para desacelerar inflação a nível mais baixo

Governo trabalha para desacelerar inflação a nível mais baixo

A inflação brasileira, em julho, manteve a rota de desaceleração. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o indicador oficial de custo de vida ficou em 4,96% no acumulado do ano até o mês passado – número bem menor que os 6,83% registrados em igual período do ano.

Esses números divulgados pelo IBGE fazem parte do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador que é considerado a inflação oficial do País. Na comparação entre junho e julho, o IPCA registrou alta de 0,52%.

Entre os grupos de produtos, alguns passaram a pressionar menos o bolso do consumidor, a exemplo de vestuário, cujos preços recuaram 0,38% no mês, e de habitação, com queda de 0,29%.

Outros segmentos tiveram variações pequenas. O grupo de produtos de comunicação, por exemplo, apresentou alta de 0,02%; educação marcou elevação de 0,04%.

Apesar de alguma melhora em determinados preços, a equipe econômica do presidente em exercício Michel Temer tem trabalhado para reduzir essa pressão sobre o bolso dos consumidores.

Recuperação 

Medidas para sanear a economia, como a que cria limites para a expansão dos gastos públicos, devem colaborar no controle do custo de vida. É o que também espera o Banco Central, que avalia que, com as medidas tomadas até o momento e outras ações futuras, a inflação vai desacelerar.

A expectativa da instituição é de que ela esfrie até atingir a meta perseguida, um IPCA ao redor de 4,5%. Esse valor, pelo cenário do Banco Central, será alcançado no último trimestre de 2017.

Caso essa projeção se confirme, será a primeira vez desde 2009, quando o índice terminou o ano em 4,31%, que o BC conseguirá atingir a meta de inflação.

A expectativa é de que ela continue a desacelerar depois de atingir esse resultado. No primeiro trimestre de 2018, chegaria a 4,4% e, no segundo (última previsão disponível), em 4,2%.

Problemas climáticos afetam produção

O resultado do IPCA de julho poderia ser melhor, não fosse o desempenho de alguns produtos que, em função de problemas climáticos e quebras de safra, estão em movimento temporário de alta. O feijão carioca, por exemplo, aumentou 32,42% no mês e 150,61% no ano.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que faz um levantamento da safra do País, explicou que o feijão passa por problemas. Segundo o órgão, há uma redução na área e na produção das culturas de primeira e segunda safras. Para a terceira safra, estima-se redução de área em quase todos os Estados produtores.

A área plantada do feijão primeira safra apresentou redução de 7,5%; da segunda Safra, queda de 3%; a terceira apresenta uma redução de 16,8%. A avaliação da Conab é de que o plantio está sendo finalizado na maioria dos Estados, mas o baixo nível dos mananciais está inibindo a irrigação e prejudicando a produção, o que faz os preços subirem.

Inflação acumulada no ano desacelera; confira a evolução

Fonte: Portal Brasil, com informações do IBGE, do BC e da Conab


Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Petrobras vai propor abertura de capital da BR Distribuidora
Empresa vai levar proposta ao conselho de administração; anúncio foi feito pelo presidente da companhia, Pedro Parente
Empresa vai levar proposta ao conselho de administração; anúncio foi feito pelo presidente da companhia, Pedro Parente
Petrobras vai propor abertura de capital da BR Distribuidora

Últimas imagens

Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, durante audiência pública sobre Previdência
Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, durante audiência pública sobre Previdência
Clésio Rocha/Planejamento
Em maio, Minas Gerais foi o estado que mais emitiu carteiras de trabalho
Em maio, Minas Gerais foi o estado que mais emitiu carteiras de trabalho
Arquivo EBC
Idosos com carteira assinada chegaram a 7,66 milhões em 2015
Idosos com carteira assinada chegaram a 7,66 milhões em 2015
Marcello Casal Jr/Abr
Despesas de brasileiros no exterior também foram destaque no resultado de maio
Despesas de brasileiros no exterior também foram destaque no resultado de maio
Arquivo EBC
Empresários estão mais otimistas com os negócios para os próximos seis meses
Empresários estão mais otimistas com os negócios para os próximos seis meses
Tony Winston/Agência Brasília

Governo digital