Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 08 > Preços de frutas e hortaliças ficam mais baixos em julho

Economia e Emprego

Preços de frutas e hortaliças ficam mais baixos em julho

Consumidor

É o terceiro mês consecutivo em que o preço do mamão cai dois dígitos percentuais; laranja e maçã também seguiram tendência de recuo nos preços
por Portal Brasil publicado: 23/08/2016 13h27 última modificação: 23/08/2016 15h40
Romero Mendonça/Governo do Espírito Santo As quedas no preço do mamão são reflexo da alta oferta

As quedas no preço do mamão são reflexo da alta oferta

Os consumidores estão encontrando frutas e hortaliças por preços mais vantajosos em diversos Estados do País. Pelo terceiro mês consecutivo, por exemplo, o mamão apresentou queda de dois dígitos percentuais em sete das oito centrais de abastecimento analisadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Nesta terça-feira (23), a Conab divulgou o 8º Boletim Prohort de Comercialização de Hortigranjeiros, com informações sobre os valores cobrados nos principais entrepostos dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Ceará, Paraná e no Distrito Federal.

No Rio de Janeiro, a queda do preço do mamão chegou a 38,72% no mês de julho. Laranja e maçã também seguiram tendência de recuo nos preços, devido ao aumento na oferta dos produtos. A queda no preço da laranja só não foi maior por causa do período de intensificação na produção de suco.

No caso da maçã, a oferta cresceu na metade dos mercados analisados, o que fez os valores caírem em Belo Horizonte (MG), Campinas (SP), Vitória (ES), Curitiba (PR) e no Distrito Federal.

Hortaliças

Batata, cebola e alface ficaram mais baratas também. A queda nos preços se deve a menores variações de temperaturas. O frio e a chuva foram menos intensos, o que beneficiou a produção e a colheita das hortaliças.

De acordo com o boletim, os preços do tomate, cebola e cenoura estão em patamares próximos ou até inferiores a de 2015. A cebola atingiu os preços mais baixos deste ano e caiu 41,6% na Ceasa mineira.

Enquanto que para a alface, batata e cebola, o movimento descendente de preço foi unânime, tomate e cenoura sofreram aumentos pontuais: em Fortaleza, o tomate aumentou 3,65%; no Rio de Janeiro, a cenoura subiu 15,88%.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Conab

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Governo prorroga para 14 de novembro o prazo de adesão ao Refis
O governo prorrogou o prazo para pessoas físicas e jurídicas quitarem as dívidas com a união. Agora, o Refis está valendo até 14 de novembro
O governo prorrogou o prazo para pessoas físicas e jurídicas quitarem as dívidas com a união. Agora, o Refis está valendo até 14 de novembro
Governo prorroga para 14 de novembro o prazo de adesão ao Refis

Últimas imagens

O lote contempla 2.358.433 contribuintes, totalizando mais de R$ 2,8 bilhões
O lote contempla 2.358.433 contribuintes, totalizando mais de R$ 2,8 bilhões
Arquivo/EBC
Produção média de petróleo no Brasil foi de 2,16 milhões de barris
Produção média de petróleo no Brasil foi de 2,16 milhões de barris
Arquivo/Agência Brasil
Expectativa é de terminar o ano com safra de 227,5 milhões de toneladas
Expectativa é de terminar o ano com safra de 227,5 milhões de toneladas
Arquivo/Agência Brasil
Recursos ficam disponíveis por dez anos
Recursos ficam disponíveis por dez anos
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital