Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 08 > Primeira semana de agosto tem superávit de US$ 637 milhões

Economia e Emprego

Primeira semana de agosto tem superávit de US$ 637 milhões

Balança Comercial

Segundo dados do Mdic, alta nas exportações de ouro, açúcar bruto, celulose, aço e couros contribuíram para resultado positivo
por Portal Brasil publicado: 08/08/2016 18h16 última modificação: 09/08/2016 11h13
Tânia Rêgo/Agência Brasil Exportações fecharam a semana em US$ 3,435 bilhões e importações em US$ 2,798 bilhões

Exportações fecharam a semana em US$ 3,435 bilhões e importações em US$ 2,798 bilhões

Na primeira semana de agosto, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 637 milhões, resultado de exportações de US$ 3,435 bilhões e importações de US$ 2,798 bilhões.

No acumulado do ano, as exportações somam US$ 110 bilhões e as importações, US$ 81,154 bilhões, com saldo positivo de US$ 28,866 bilhões. Os dados foram divulgados, nesta segunda-feira (8), pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic).

Exportações

As exportações, na semana, tiveram média diária US$ 687 milhões com o crescimento de 27,8% das exportações de produtos semimanufaturados, na comparação com o mesmo período do ano passado. Esse desempenho foi puxado principalmente pelas vendas de ouro, açúcar bruto, catodos de cobre, celulose, ferro, aço, couros e peles.

Os manufaturados também apresentaram alta, e registraram elevação de 7,7%, em função das vendas de veículos de carga, açúcar refinado, óxidos e hidróxidos de alumínio, tubos flexíveis de ferro e aço, bombas, compressores e partes, máquinas e aparelhos para terraplanagem.

Frente a julho, também houve variação positiva das exportações de 
semimanufaturados (15,6%).

O desempenho médio diário das importações na primeira semana de agosto de 2016 foi de US$ 559,6 milhões, valor 8,1% abaixo da média registrada em de agosto do ano passado (US$ 609,3 milhões). Nesse comparativo, caíram os gastos, sobretudo, com veículos e partes (-35%), produtos farmacêuticos (-19,7%), equipamentos mecânicos (-17,2%), instrumentos de ótica e precisão (-10,8%) e produtos plásticos (-6,9%).

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Indústria e Comércio Exterior

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil