Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 12 > Caixa disponibiliza simulador para nova faixa do Minha Casa Minha Vida

Economia e Emprego

Caixa disponibiliza simulador para nova faixa do Minha Casa Minha Vida

Habitação

Ferramenta oferece detalhes do financiamento para o comprador da faixa 1,5 do programa, como projeção dos valores da prestação
por Portal Brasil publicado: 08/12/2016 16h56 última modificação: 06/01/2017 18h51
Arquivo/Agência Brasil A nova modalidade atende famílias com renda mensal de até R$ 2,35 mil

A nova modalidade atende famílias com renda mensal de até R$ 2,35 mil

A Caixa Econômica disponibilizou em seu site um simulador habitacional para financiamentos da casa própria da Faixa 1,5 do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). A ferramenta disponibiliza detalhes do financiamento para o comprador. 

A consulta permite ao cliente receber a projeção dos valores da prestação inicial do financiamento, o que permite ao interessado analisar suas possibilidades.

As aquisições na Faixa 1,5 estão abertas para empreendimentos contratados pela Caixa. A nova modalidade atende famílias com renda mensal de até R$ 2,35 mil. O teto para o financiamento varia de acordo com a região, com valores que vão de R$ 70 mil a R$ 135 mil.

Para o vice-presidente de Habitação da Caixa, Nelson Antonio de Souza, o grande atrativo da Faixa 1,5 é o subsídio. “Dependendo do estado, o subsídio pode chegar a R$ 45 mil para um imóvel de até R$ 135 mil”, explicou. “É uma oferta de crédito importante, para uma parte da população que não estava sendo atendida”, afirmou.

Momento favorável

Na Faixa 1,5 do programa, não há necessidade de se fazer cadastro em prefeituras ou entidades. Por ser uma operação de mercado, é possível buscar o imóvel diretamente na construtora. “Depois de encontrar o imóvel, basta ir a uma agência da Caixa para ter a documentação verificada”, explica Nelson.

Também é possível utilizar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para reduzir o saldo devedor, diminuir o valor da prestação ou dar entrada na compra da casa própria. “O cliente pode utilizar o FGTS sem perder o subsídio do Minha Casa Minha Vida”, finaliza o vice-presidente.

Nelson de Souza afirma ainda que o momento é muito favorável para a compra da casa própria. “Esse final de ano promete muito. Estamos com novas medidas que incentivam o financiamento, taxas de juros menores e preços estabilizados”, explica. “São muitas variáveis que direcionam e propiciam que o sonho da casa própria seja realizado neste momento”, afirma Souza. 

Com orçamento de R$ 22 bilhões para serem aplicados pela Caixa até o final do ano em habitação e recursos garantidos para 2017, o vice-presidente garante: “não faltarão recursos para o financiamento habitacional em 2016”, concluiu.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Caixa Econômica Federal

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Inmetro dá dicas para quem quer economizar energia
Com a crescente necessidade de economizar energia, o Inmetro dá dicas para quem quer poupar sem ter de abrir mão do conforto
Com a crescente necessidade de economizar energia, o Inmetro dá dicas para quem quer poupar sem ter de abrir mão do conforto
Inmetro dá dicas para quem quer economizar energia

Últimas imagens

Recursos são referentes ao ano de 2015 e podem ser retirados até 28 de dezembro
Recursos são referentes ao ano de 2015 e podem ser retirados até 28 de dezembro
Marcos Santos/USP Imagens
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Ministério da Fazenda
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Gustavo Raniere/Min. Fazenda
Arrecadação em alta é importante para manter o compromisso com as contas públicas
Arrecadação em alta é importante para manter o compromisso com as contas públicas
Arquivo EBC

Governo digital