Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2017 > 01 > Brasil lança negociações para acordo de livre comércio entre Mercosul e EFTA

Economia e Emprego

Brasil lança negociações para acordo de livre comércio entre Mercosul e EFTA

Comércio exterior

Em Davos, o ministro Marcos Pereira, destacou a importância da parceria para a ampliação das relações comerciais dos países do Mercosul
por Portal Brasil publicado: 19/01/2017 17h54 última modificação: 20/01/2017 17h15

O Brasil iniciou, nesta quinta-feira (19), em Davos, na Suíça, as negociações para um possível acordo de livre comércio entre o Mercosul e a Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA), bloco formado pela Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein.

As negociações, durante o Fórum Econômico Mundial, contaram com a participação do ministro da Indústria, Comercio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. O ministro destacou a importância da parceria para a ampliação das relações comerciais dos países do Mercosul.

“No Brasil, estamos promovendo uma atualização significativa da nossa política econômica e comercial para assegurar uma inserção competitiva do País na economia global. Ao lado dos demais membros do Mercosul, procuramos novos parceiros para aumentar, diversificar e melhorar nossas relações comerciais, a fim de contribuir para o crescimento e a estabilidade da economia brasileira”, afirmou o ministro.

O ministro disse ainda que a aprovação de um mandato para negociar com a EFTA, pelo Grupo do Mercado Comum do Mercosul, é uma clara indicação da alta prioridade para as negociações.

Os maiores ganhos para o Brasil com a conclusão do acordo concentram-se nos bens básicos. Em relação aos bens industriais, os setores mais beneficiados serão os de químicos orgânicos, vestuário e calçados, produtos de cerâmica e madeira.

Com o acordo, o Brasil poderá obter insumos mais baratos para produção de bens industriais, aumentando a competitividade de seus produtos. Além disso, a EFTA possui posição relevante no comércio internacional de bens, sendo que a Suíça é o 11º no ranking da Organização Mundial do Comércio (OMC) dos principais importadores em 2015 (participação de 1,9% das importações mundiais), e a Noruega é 24º nesse ranking (0,6% das importações mundiais).

Além da redução tarifária, o possível acordo incluirá disciplina sobre barreiras não tarifárias, ajudando exportadores brasileiros que eventualmente enfrentem essas barreiras naquele mercado.

Intercâmbio comercial

Em 2016, as exportações brasileiras para a EFTA totalizaram US$ 2,4 bilhões (participação de 1,3%), sendo que os produtos manufaturados representaram 64,9%, os semimanufaturados 25,9% e os básicos 9%.

Os principais produtos exportados pelo País foram plataformas de perfuração ou exploração (32,6%), óxidos e hidróxidos de alumínio (24,3%), soja em grãos (4,0%), ouro em formas semimanufaturadas (3,7%) e café em grãos (1,9%).

Fonte: Portal Brasil, com informações do MDIC

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Soja, milho e feijão são os destaques da super safra 2016/2017
Safra de grãos 2016/2017 deve bater recorde com produção de 238 milhões de toneladas
Safra de grãos 2016/2017 deve bater recorde com produção de 238 milhões de toneladas
Soja, milho e feijão são os destaques da super safra 2016/2017

Últimas imagens

Houve aumento nas exportações de manufaturados e produtos básicos
Houve aumento nas exportações de manufaturados e produtos básicos
Divulgação/ Governo da Bahia
Segundo Meirelles, a economia do Brasil está reagindo e o País voltará a crescer de forma sustentável
Segundo Meirelles, a economia do Brasil está reagindo e o País voltará a crescer de forma sustentável
Gustavo Raniere/MF
Evidências de retomada nas regiões estão em linha com recuperação gradual da economia
Evidências de retomada nas regiões estão em linha com recuperação gradual da economia
Fernando Frazão/Agência Brasil
Medida aumenta subvenção ao seguro rural, o que facilita acesso à proteção
Medida aumenta subvenção ao seguro rural, o que facilita acesso à proteção
Pedro Ventura/Agência Brasília
Medida vai dar mais acesso e reduzir custo em empréstimos e financiamentos que tenham bens como garantia
Medida vai dar mais acesso e reduzir custo em empréstimos e financiamentos que tenham bens como garantia

Governo digital