Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2017 > 03 > BC reduz projeção de inflação para 2017

Economia e Emprego

BC reduz projeção de inflação para 2017

Inflação

Em documento, Banco Central citou reformas e "dinâmica favorável" da inflação
por Portal Brasil publicado: 02/03/2017 14h50 última modificação: 02/03/2017 15h25

Diante das reformas econômicas encaminhadas pelo governo federal, o Banco Central (BC) passou a ver um cenário mais favorável para o custo de vida no Brasil e reduziu suas projeções. Para 2017, a expectativa de inflação caiu para 4,2%; para o próximo ano, para 4,5%.

As informações fazem parte de um documento divulgado nesta quinta-feira (02), no qual a instituição classificou as medidas de ajuste fiscal como “fundamentais” para o processo de redução da taxa básica de juros.

Com as reformas, as contas públicas ficam organizadas e, na prática, há menos combustível para a inflação. O consumidor é diretamente beneficiado com esse ajuste, já que os preços ficam mais estáveis. Ao mesmo tempo, se criam as condições necessárias para a redução dos juros.

Essa ata, além de trazer as previsões do Banco Central para a economia, explica a decisão da instituição em relação aos juros. Na última reunião os juros foram cortados, caíram de 13% ao ano para 12,25%. Essa redução, explicou o BC, foi possível em função desse cenário melhor para a inflação. O impacto das reformas econômicas também colaborou para a decisão.

“O processo de aprovação das reformas fiscais tem sido positivo. Os próximos passos envolvem apreciação de reformas fundamentais para a sustentabilidade das contas públicas, como é o caso da reforma da previdência”, diz o comunicado.

Limite de tolerância para a inflação

No Brasil, a principal missão do BC é manter a inflação estável e em um nível baixo. Para deixar esse trabalho mais claro, a instituição tem o objetivo de fazer com que o IPCA do ano fique em 4,5%.

Como existem muitos fatores que podem influenciar esse número, há uma margem de erro para mais e para menos. Com isso, o limite máximo de tolerância para a inflação é uma taxa de 6% e o mínimo é de 3%.


Fonte: Portal Brasil, com informações do Banco Central

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

registrado em: , , ,
Assunto(s): Economia e Finanças

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Governo prorroga para 14 de novembro o prazo de adesão ao Refis
O governo prorrogou o prazo para pessoas físicas e jurídicas quitarem as dívidas com a união. Agora, o Refis está valendo até 14 de novembro
O governo prorrogou o prazo para pessoas físicas e jurídicas quitarem as dívidas com a união. Agora, o Refis está valendo até 14 de novembro
Governo prorroga para 14 de novembro o prazo de adesão ao Refis

Últimas imagens

Ministro Dyogo Oliveira defendeu aprovação da reforma da Previdência para evitar danos ao País
Ministro Dyogo Oliveira defendeu aprovação da reforma da Previdência para evitar danos ao País
Valter Campanato/Agência Brasil
Alta na massa salarial é explicada por melhora no mercado de trabalho, que vem empregando mais neste ano
Alta na massa salarial é explicada por melhora no mercado de trabalho, que vem empregando mais neste ano
Marcos Santos/USP Imagens
Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão anunciou mais uma liberação de recursos orçamentários
Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão anunciou mais uma liberação de recursos orçamentários
Gleice Mere/MP
Neste ano, a balança comercial vem registrando recordes seguidos
Neste ano, a balança comercial vem registrando recordes seguidos
Arquivo EBC

Governo digital