Você está aqui: Página Inicial > Educação > 2016 > 08 > MEC vai premiar melhores ideias para educação profissional e combate ao zika

Educação

MEC vai premiar melhores ideias para educação profissional e combate ao zika

Concurso

Podem concorrer estudantes, escolas públicas e universidades e institutos federais; prêmios podem chegar até a R$ 25 mil
publicado: 26/08/2016 10h50 última modificação: 26/08/2016 11h45
Divulgação/MEC Para o Desafio da Educação ZikaZero, os competidores serão estimulados a apresentar propostas para o combate ao mosquito Aedes aegypti

Para o Desafio da Educação ZikaZero, os competidores serão estimulados a apresentar propostas para o combate ao mosquito Aedes aegypti

O Ministério da Educação vai premiar as melhores ideias e experiências bem-sucedidas que promovam a inovação na educação profissional e apresentem soluções para o combate ao mosquito Aedes aegypti e à microcefalia.

A ação faz parte dos concursos O Desafio da Educação Profissional e Tecnológica e Desafio da Educação ZikaZero, ambos abertos à participação de estudantes, profissionais da educação e demais interessados.

Os prêmios podem chegar a R$ 2 mil, na categoria individual, e R$ 25 mil, na categoria de curso ou instituição indicada. Nessa última classificação, podem concorrer escolas públicas estaduais e municipais e cursos de graduação e técnicos de universidades federais e institutos federais de educação, ciência e tecnologia.

Para o titular da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do MEC, Marcos Viegas, os concursos inovam ao colocar a sociedade em papel de protagonismo, além de estimular o desenvolvimento e o intercâmbio de ideias.

“É uma estratégia de mobilização que possibilita à população propor, avaliar e compartilhar soluções inovadoras de alto impacto para aprimorar temas relevantes de interesse social, a exemplo da educação profissional e tecnológica e da saúde pública”, observa. 

Educação profissional

No concurso Desafio da Educação Profissional e Tecnológica, os inscritos podem contribuir com até dez temas, que serão divididos em três rodadas. Na primeira, serão avaliadas ideias que incentivem a integração entre o ensino médio e o ensino técnico e profissional; que encoraje a permanência na educação profissional; e aprimore a formação de professores e gestores do ensino tecnológico.

Na segunda rodada, os candidatos deverão apresentar experiências para engajar o setor produtivo com a educação profissional e tecnológica; construir currículos alinhados ao mercado de trabalho; e melhorar o sistema de ensino profissional a distância.

Já na terceira rodada, o candidato deverá apresentar ideias de captação e aplicação de recursos destinados ao desenvolvimento de inovações tecnológicas; desenvolver métodos de avaliação de ensino e aprendizagem para a educação profissional e tecnológica; e construir estratégias de formação que compatibilizem formação com inserção no mercado de trabalho.

Combate ao Aedes aegypti

Para o Desafio da Educação ZikaZero, os competidores serão estimulados a apresentar propostas que possam contribuir com estratégias ou ferramentas para o combate ao mosquito Aedes aegypti.

As sugestões cadastradas nas plataformas de cada um dos concursos ficarão disponíveis para avaliação popular. Ao final do período estabelecido pelos editais, será gerado um ranking com os primeiros colocados, classificados por critérios como o somatório de pontos e o engajamento com o tema.

Para participar, basta ter acesso à plataforma virtual de cada prêmio. Após a validação da inscrição, os participantes devem indicar, para fins de premiação, um curso técnico ou de graduação de instituto federal, universidade federal ou escola pública estadual ou municipal.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Educação

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Base Nacional Comum Curricular alinha o Brasil aos melhores sistema educacionais do mundo
Com a mudança, o país se alinha aos melhores sistemas educacionais do mundo
Base Nacional Comum Curricular é homologada
Presidente Michel Temer homologou a Base Nacional Comum Curricular. Documento é considerado um avanço por especialistas em educação
Presidente Michel Temer sanciona lei do novo FIES
Uma das novidades é que recursos dos fundos constitucionais e de desenvolvimento vão ser destinados para os financiamentos estudantis
Com a mudança, o país se alinha aos melhores sistemas educacionais do mundo
Base Nacional Comum Curricular alinha o Brasil aos melhores sistema educacionais do mundo
Presidente Michel Temer homologou a Base Nacional Comum Curricular. Documento é considerado um avanço por especialistas em educação
Base Nacional Comum Curricular é homologada
Uma das novidades é que recursos dos fundos constitucionais e de desenvolvimento vão ser destinados para os financiamentos estudantis
Presidente Michel Temer sanciona lei do novo FIES

Últimas imagens

Mudanças no programa beneficiam quem mais precisa e garantem recursos para manter o financiamento estudantil
Mudanças no programa beneficiam quem mais precisa e garantem recursos para manter o financiamento estudantil
Arquivo/Agência Brasil
Encceja PPL
Arquivo/Agência Brasil
Provas serão aplicadas em 12 e 13 de dezembro em todo o País, em mais de mil unidades prisionais de 577 municípios. Grau de dificuldade da prova é equivalente ao do Enem regular
Provas serão aplicadas em 12 e 13 de dezembro em todo o País, em mais de mil unidades prisionais de 577 municípios. Grau de dificuldade da prova é equivalente ao do Enem regular
Foto: André Nery/MEC
Provas serão aplicadas em 19 de novembro, para público geral; e em 19 e 20 de dezembro para pessoas privadas de liberdade
Provas serão aplicadas em 19 de novembro, para público geral; e em 19 e 20 de dezembro para pessoas privadas de liberdade
Foto: André Nery/MEC
Ministro da Educação participou de coletiva de imprensa neste domingo (12), quando foi dado balanço da aplicação
Ministro da Educação participou de coletiva de imprensa neste domingo (12), quando foi dado balanço da aplicação
Reprodução/NBR

Governo digital