Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2016 > 09 > Brasil comemora legado imaterial após Jogos Rio 2016

Esporte

Brasil comemora legado imaterial após Jogos Rio 2016

Grandes eventos

Além das mudanças estruturais, País ganhou com as trocas de experiências, os ganhos culturais e os recordes batidos
por Portal Brasil publicado: 28/09/2016 16h35 última modificação: 29/09/2016 11h59

Mais do que entrar para a história do mundo esportivo, sediar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos é ter a oportunidade de contabilizar legados materiais e imateriais que marcam a vida de uma nação. Com o Brasil não foi diferente. Por aqui, tivemos mudanças em infraestrutura, economia, segurança, turismo e outras áreas importantes. Mas algumas consequências menos palpáveis e igualmente relevantes fizeram da Rio 2016 um evento único.

As trocas de experiência, as mudanças de percepções, os ganhos culturais, os recordes batidos, o “saber receber” e as oportunidades de transformar o Brasil por meio da prática esportiva foram alguns dos legados intangíveis dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

A cada competição, o incentivo à prática de esportes por crianças e adolescentes que deverão ser motivadas pelas novas estruturas à disposição em todo o País. A cada medalha de um paratleta, a certeza de que o limite é não ter limites. A cada recorde alcançado, a comemoração de um povo que acredita que sempre podemos fazer mais.

Além de fomentar o turismo, os Jogos Rio 2016 foram responsáveis por estabelecer um intercâmbio cultural entre o Brasil e visitantes de várias partes do planeta. O ganho com a entrada dessa quantidade de estrangeiros e toda troca de experiências são imensuráveis. A política maior do turismo tem de ser a de receber bem. E no quesito hospitalidade, o Brasil foi campeão. Cerca de 90,5% dos turistas que estiveram por aqui disseram que têm intenção de voltar.

Inclusão

No Brasil, a Paralimpíada contribuirá nos avanços da inclusão social para as pessoas com deficiência. Segundo o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons, o principal legado é a mudança de percepção que a sociedade tem em relação às pessoas com deficiência. “Com os Jogos Paralímpicos, todos perceberam que no contexto do esporte o mais relevante é o que se pode fazer, não aquilo que não pode ser feito”, ressaltou.

Fonte: Portal Brasil, Brasil 2016Ministério do EsporteMinistério do TurismoCOBCOI

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa Forças no Esporte comemora Dia das Crianças
Iniciativa do Ministério da Defesa, em parceria com outros ministérios, leva para as crianças atividades esportivas, lazer e aulas de reforço no período do contra turno escolar
Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Iniciativa do Ministério da Defesa, em parceria com outros ministérios, leva para as crianças atividades esportivas, lazer e aulas de reforço no período do contra turno escolar
Programa Forças no Esporte comemora Dia das Crianças
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro

Últimas imagens

Rebeca Andrade é uma das ginastas do time feminino que representa o Brasil na competição
Rebeca Andrade é uma das ginastas do time feminino que representa o Brasil na competição
Foto: Danilo Borges/Ministério do Esporte
Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Foto: Rogério Vital/Ministério do Esporte
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Divulgação/CBDU
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Divulgação/Federação Int. de Canoagem
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Divulgação/CBDU

Governo digital