Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2017 > 09 > Brasil deve ter primeiro superávit de energia desde 1940

Infraestrutura

Brasil deve ter primeiro superávit de energia desde 1940

Produção energética

Crescimento na produção de petróleo e gás natural, além da baixa demanda global, devem levar a saldo positivo
por Portal Brasil publicado: 04/09/2017 15h18 última modificação: 12/10/2017 17h39
Foto: Vanderlei Tacchio/Eletrosul A previsão para o ano de 2017 é de que a demanda total de energia deve crescer cerca de 1,5%

A previsão para o ano de 2017 é de que a demanda total de energia deve crescer cerca de 1,5%

A produção energética brasileira deve chegar ao fim do ano com superávit. Esta é a expectativa do Ministério de Minas e Energia (MME) para 2017. O País não tem saldo positivo de energia desde 1940, ano inicial de estatísticas globais na área.

O Boletim Mensal de Energia do MME traz as informações. O documento foi elaborado pela Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético, que acompanha um conjunto de variáveis energéticas e não energéticas capaz de permitir razoável estimativa do comportamento mensal acumulado da demanda total de energia do Brasil.

A baixa demanda global, associada às elevadas taxas de crescimento na produção de petróleo, que acumulou alta de 10,9% de janeiro a junho deste ano, na comparação com o mesmo período de 2016, explicam o resultado. Em junho, o aumento foi de 5%.

A produção de gás natural também apresenta boas taxas: cresceu 8,9% no ano e 7,4% em junho. Já com relação ao biodiesel, a produção de junho cresceu 22,5%, com expansão de 3,1% no ano, o que também contribui para a possibilidade de superávit, além da contribuição para a manutenção de uma matriz energética com alta proporção de renováveis.

Para este ano, as previsões também apontam que  a demanda total de energia deve crescer cerca de 1,5% e de energia elétrica, cerca de 2%. As fontes renováveis na matriz energética ficam acima de 42% e as renováveis na matriz de oferta elétrica acima de 80%. A energia eólica sobe mais de 1 ponto percentual na matriz elétrica.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério de Minas e Energia

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil