Você está aqui: Página Inicial > Meio Ambiente > 2010 > 01 > Prudência ecológica

Meio ambiente

Prudência ecológica

por Portal Brasil publicado: 07/01/2010 22h00 última modificação: 28/07/2014 11h43
Daniel De Granville/Embratur Agir de maneira equilibrada com a natureza minimiza impactos que levam à sua degradação

Agir de maneira equilibrada com a natureza minimiza impactos que levam à sua degradação

A prudência ecológica é um dos pilares do desenvolvimento sustentável. Significa entender que várias atividades humanas podem ter consequências desconhecidas e potencialmente perigosas na natureza e, diante disso, agir de maneira equilibrada para minimizar esses efeitos.

Em 1987, a World Commission on Environment and Development (comissão mundial sobre o meio ambiente e o desenvolvimento), grupo ligado à Organização das Nações Unidas (ONU), analisou os problemas sociais, econômicos e ambientais do mundo. Desse trabalho nasceu um documento chamado “Relatório de Brundtland”, que avaliou as causas dos problemas sócio-econômicos e ecológicos da sociedade e sugeriu a adoção imediata de uma postura ética e responsável em relação ao meio ambiente.

Segundo a comissão, desenvolvimento sustentável é uma forma de o ser humano utilizar os recursos naturais para satisfazer suas demandas, levando em conta a eficiência econômica, prudência ecológica e justiça social. A comissão sugere uma série de medidas para atingir o desenvolvimento sustentável:

• planejamento do crescimento populacional;

• garantia da produção de alimentação a longo prazo;

• preservação da biodiversidade e dos ecossistemas;

• redução do consumo de energia e desenvolvimento de tecnologias para o uso de fontes energéticas renováveis;

• aumento da produção industrial nos países não-industrializados, com a utilização de tecnologias que reduzam os danos ao ambiente;

• e controle dos centros urbanos e melhor integração entre campo e cidades.

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Banner - Combate às Queimadas

Últimos vídeos

ICMBio completa 10 anos de atuação
Instituto agrega 324 unidades de conservação, que somam quase 80 milhões de hectares - o equivalente a 9% do território nacional
Confira as oportunidades geradas pelas Unidades de Conservação
Unidades de Conservação oferecem oportunidades para as comunidades do entorno e também aos visitantes. Confira entrevista com o presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski
ICMBio amplia trabalho de prevenção a incêndios
Presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski, explica as ações do instituto para combater queimadas que ameaçam flora e fauna do País
Instituto agrega 324 unidades de conservação, que somam quase 80 milhões de hectares - o equivalente a 9% do território nacional
ICMBio completa 10 anos de atuação
Unidades de Conservação oferecem oportunidades para as comunidades do entorno e também aos visitantes. Confira entrevista com o presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski
Confira as oportunidades geradas pelas Unidades de Conservação
Presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski, explica as ações do instituto para combater queimadas que ameaçam flora e fauna do País
ICMBio amplia trabalho de prevenção a incêndios

Últimas imagens

Redução chega a 76% quando comparada a 2004. Os estados com maior queda são Tocantins (55%) e Roraima (43%)
Redução chega a 76% quando comparada a 2004. Os estados com maior queda são Tocantins (55%) e Roraima (43%)
Foto: Gilberto Soares/MMA
Processos passaram a ser mais ágeis, dinâmicos, e conferem mais vantagens aos produtores
Processos passaram a ser mais ágeis, dinâmicos, e conferem mais vantagens aos produtores
Foto: Eduardo Aigner/MDA
Nos municípios selecionados, haverá direcionamento das ações de fiscalização ambiental
Nos municípios selecionados, haverá direcionamento das ações de fiscalização ambiental
Divulgação/Ministério do Meio Ambiente

banner_servico.jpg

Governo digital