Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 10 > Brasil garante pré-natal a mais gestantes

Saúde

Brasil garante pré-natal a mais gestantes

Saúde da família

Uma das inovações da Rede Gegonha em relação aos serviços oferecidos atualmente é a proximidade com que vai atuar o governo federal junto aos estados e municípios, para que haja maior comprometimento com a mudança das práticas
por Portal Brasil publicado: 10/10/2011 16h17 última modificação: 28/07/2014 12h50
Exibir carrossel de imagens Romero Britto Rede Cegonha visa garantir atendimento de qualidade a todas as brasileiras pelo SUS

Rede Cegonha visa garantir atendimento de qualidade a todas as brasileiras pelo SUS

Lançada em março de 2011 pelo Governo Federal, a Rede Cegonha é um programa que visa garantir atendimento de qualidade a todas as brasileiras pelo Sistema Único de Saúde (SUS), desde a confirmação da gestação até os dois primeiros anos de vida do bebê. Ela terá atuação integrada às demais iniciativas do SUS para a saúde da mulher.

Conforme as diretrizes gerais e operacionais do projeto, deve ser assegurado às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo e à atenção humanizada durante a gravidez, o parto e o pós-parto, e às crianças o direito ao nascimento seguro, crescimento e desenvolvimento saudáveis.

Com um investimento de R$ 9,4 bilhões do Ministério da Saúde, que serão aplicados na construção de uma rede de cuidados primários à mulher e à criança, a Rede Cegonha iniciou o atendimento às futuras mães pela Amazônia e pela região Nordeste, que registram a maior taxa de mortalidade infantil e materna do País. Também terão prioridade as regiões metropolitanas de todo o país, porque concentram o maior número de gestantes.

Uma das inovações do programa em relação aos serviços oferecidos atualmente é a proximidade com que vai atuar o governo federal junto aos estados e municípios, para que haja maior comprometimento com a mudança das práticas.

Outra novidade é que o teste rápido de gravidez está disponível em todos os Postos de Saúde, o que possibilita, uma vez confirmada a gestação, começar o quanto antes o pré-natal. A partir da confirmação, ficam garantidas pelo menos seis consultas médicas, além de uma série de exames clínicos e laboratoriais. Sobre o local onde será realizado o parto, a gestante será vinculada desde o pré-natal à maternidade onde será realizado o parto.

Também é importante ressaltar que as grávidas devem receber auxílio para o deslocamento até o local das consultas de pré-natal, e para se deslocarem até a maternidade, quando forem dar à luz.

A Rede Cegonha prevê ainda a qualificação dos profissionais de saúde responsáveis pelo atendimento às mulheres durante a gravidez, parto e puerpério, bem como a criação de estruturas de assistência, como a Casa da Gestante e a Casa do Bebê, e os Centros de Parto Normal, que funcionarão em conjunto com a maternidade para humanizar o nascimento.

As boas práticas de atenção ao parto e nascimento serão exigidas nas maternidades. Uma delas é o direito a acompanhante de livre escolha da mulher durante todo o trabalho de parto, parto e puerpério. O ambiente em que a mulher dará à luz deverá ser adequado para oferecer privacidade e conforto para ela e seu acompanhante. Ela terá acesso a métodos de alívio da dor e a possibilidade de ficar em contato pele a pele com seu bebê imediatamente após o nascimento, prática que hoje é demonstrada como benéfica para os dois.

O pai será incentivado a participar do momento do nascimento do seu filho, estimulando a formação de vínculos. O programa também pretende garantir que sempre haja um leito disponível para a mãe e o recém-nascido nas unidades de saúde, evitando a peregrinação das mulheres e recém-nascidos nos vários serviços.

Acesse a galeria de imagens do Rede Cegonha
Saiba mais sobre a Campanha aqui.

Fontes:

Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

ANS regulamenta contratação online de planos de saúde
Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) cria regras que dão mais segurança ao consumidor que for contratar um plano de saúde pela internet
Governo destinará R$ 1 bilhão às Unidades de Pronto Atendimento
Ministério da Saúde registrou economia R$ 1 bilhão após renegociação de contratos e outras medidas. Recursos serão destinados às UPAs e Santas Casas
Governo prepara campanha para combater o mosquito Aedes aegypti
A mobilização de combate ao mosquito Aedes aegypti será nacional. Confira o detalhamento das ações
Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) cria regras que dão mais segurança ao consumidor que for contratar um plano de saúde pela internet
ANS regulamenta contratação online de planos de saúde
Ministério da Saúde registrou economia R$ 1 bilhão após renegociação de contratos e outras medidas. Recursos serão destinados às UPAs e Santas Casas
Governo destinará R$ 1 bilhão às Unidades de Pronto Atendimento
A mobilização de combate ao mosquito Aedes aegypti será nacional. Confira o detalhamento das ações
Governo prepara campanha para combater o mosquito Aedes aegypti

Últimas imagens

Os dois nomes foram sabatinados e aprovados pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal (CAS)
Os dois nomes foram sabatinados e aprovados pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal (CAS)
Divulgação/EBC
Força Nacional do SUS viajou para a Colômbia em avião da FAB
Força Nacional do SUS viajou para a Colômbia em avião da FAB
Foto: Tenente Enilton/Força Aérea Brasileira
Redução das mortes é resultado do incentivo ao diagnóstico e início precoce do tratamento
Redução das mortes é resultado do incentivo ao diagnóstico e início precoce do tratamento
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Mais de 2,2 mil municípios participaram do levantamento do Ministério da Saúde sobre as doenças
Mais de 2,2 mil municípios participaram do levantamento do Ministério da Saúde sobre as doenças
Divulgação/Governo do Mato Grosso
Determinação da Anvisa foi publicada na edição desta quinta (24) do Diário Oficial da União
Determinação da Anvisa foi publicada na edição desta quinta (24) do Diário Oficial da União
Divulgação/Anvisa

Governo digital