Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 04 > Acidentes

Saúde

Acidentes

Segundo o Ministério da Saúde, os acidentes mais comuns com crianças são os de trânsito, seguidos de afogamento, quedas, queimaduras e intoxicações
por Portal Brasil publicado: 24/04/2012 13h33 última modificação: 29/07/2014 09h06
Jacque Stengel/SXC Fraturas: resultados mais comuns em acidentes domésticos

Fraturas: resultados mais comuns em acidentes domésticos

Acidentes com crianças são mais comuns do que os pais gostariam de pensar. Segundo o Ministério da Saúde, os mais comuns são os de trânsito, seguidos de afogamento, quedas, queimaduras e intoxicações – sendo estes últimos muito comuns dentro de casa. 

A prevenção começa logo após nascimento. Se o recém-nascido for de carro da maternidade para casa, precisa ser acomodado em um bebê conforto ou cadeirinha especial no banco de trás, ao lado de um dos vidros traseiros laterais, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro. Até sete anos e meio de idade a criança só deve andar de carro na cadeirinha.

Na hora do banho, em banheira ou balde, atente para a quantidade e a temperatura da água (37ºC) e não deixe a criança pequena sozinha nem por um instante, porque em segundos ela pode se afogar. O ideal é que o nível da água fique abaixo do pescoço. 

No berço, a própria roupa de cama e os brinquedos podem apresentar riscos de sufocamento e asfixia. Por isso, especialistas recomendam não deixar nenhum destes objetos no berço. Até mesmo o travesseiro não é recomendado. Quando a criança está no chão, os móveis, os tapetes e objetos decorativos que estiverem em volta devem ser seguros para ela, com o uso de protetores nas quinas e retirada de vidros, por exemplo, do alcance da criança. O andador não é indicado porque pode provocar quedas. 

Todos os cômodos da casa apresentam riscos, mas a cozinha e a área de serviços possuem o maior potencial para acidentes. Ali podem acontecer queimaduras, então mantenha a criança longe de fogão aceso, do ferro de passar ligado, dos cabos de panelas e alimentos quentes. Facas devem estar em gavetas com trava. Esconda fósforos e isqueiros e proteja as tomadas elétricas com tampas apropriadas. Mantenha os produtos de limpeza, medicamentos e outros produtos químicos trancados em armários para evitar envenenamentos e intoxicações. 

Cuidado também com alimentos que podem provocar engasgamento, como balas, chicletes, amendoins, uvas, entre outros com consistência mais rígida e que são vendidos ou consumidos em porções pequenas.

Além de proteger a criança em casa, os pais devem atentar se outros lugares que a criança frequenta também estão protegidos, como na creche, escola, ou casa de parente que cuide dela. Para o pediatra do Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria, Daniel Katayama, todos os cuidadores devem ser orientados sobre as medidas de prevenção de acidentes. 

Também os irmãos, primos e amigos da criança devem ser alertados sobre o perigo de espalhar brinquedos e objetos próximos dela. Para as que já andam de bicicleta, o recomendado é o uso de capacete e evitar o passeio por ruas movimentadas. 

Em casos de acidentes com materiais de limpeza, medicamentos e outros produtos tóxicos, chame o SAMU-192 ou ligue para o Centro de Informação Toxicológica: 0800.780.200. 

Fontes:
Portal da Saúde: Saúde para Você/ Jovens e Adolescentes –  Mortalidade
Construindo a Política Nacional dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e o Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes 2011 – 2020
Caderneta Saúde da Criança, do Ministério da Saúde (meninos)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil