Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2016 > 08 > Falso remédio de hepatite é identificado pela OMS

Saúde

Falso remédio de hepatite é identificado pela OMS

Medicamento

Vigilância sanitária dos Estados Unidos alerta para a falsa solução, que não apresenta registro
por Portal Brasil publicado: 29/08/2016 16h31 última modificação: 29/08/2016 16h47
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil A Anvisa determinou apreensão e inutilização de todas as unidades do lote de Ledso

A Anvisa determinou apreensão e inutilização de todas as unidades do lote de Ledso

O órgão de vigilância sanitária norte-americano, Food and Drug Administration (FDA), alertou para a comercialização clandestina do LedsoTrata-se de uma solução de Sofosbuvir e Ledipasvir, medicamentos usados no tratamento de Hepatite C.

As cápsulas do produto falsificado teriam sido identificadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que emitiu o alerta da distribuição ilegal do produto. O órgão alerta, portanto, que o produto Ledso não possui registro e se trata de um caso de falsificação.

Após constatar a falsificação do produto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou apreensão e inutilização de todas as unidades do lote em território nacional.

A resolução RE – 2.291/16 foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (26/08) e já se encontra em vigor.

A empresa Pharco Corporation, localizada no Egito, que consta nos rótulos do produto, alegou que não fabrica nenhum medicamento com o nome Ledso ou que combine Sofosbuvir e Ledipasvir.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Anvisa

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital